Nossa História

LANÇAMENTO

A ideia de levar a juventude universitária a conhecer a realidade brasileira e a participar do processo de desenvolvimento surgiu em 1966, durante reunião realizada no Rio de Janeiro, com a participação de universidades do então Estado da Guanabara, do Ministério da Educação e Cultural e de especialistas em educação.

O Projeto Rondon foi semeado em 11 de julho de 1967, quando uma equipe formada por 30 universitários e dois professores de universidades do antigo Estado da Guanabara, conheceram de perto a realidade amazônica no então território federal de Rondônia. A primeira missão teve a duração de 28 dias.

1967 - Operação Zero

 

Tão logo os estudantes retornaram de Rondônia, propuseram a criação de um movimento universitário que desse prosseguimento ao trabalho iniciado no território visitado. A esse movimento deram-lhe o nome de Projeto Rondon, em homenagem ao bandeirante do século XX, o Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon. No ano seguinte, o trabalho expandiu-se para a Amazônia e Mato Grosso, com 648 jovens, exigindo maior participação do Governo no seu apoio. Durante o período em que permaneceu em atividade, integrando a estrutura do Governo, o Projeto envolveu mais de 350.000 universitários em todas as regiões do País.

A primeira equipe da UFSM a embarcar em direção ao campus avançado de Roraima, em 1969. Disponível em : http://w3.ufsm.br/infocampus/?p=829

 

O Projeto Rondon foi criado, pelo Decreto nº 62.927, de 28 de junho de 1968, que estabeleceu um Grupo de Trabalho (GT) denominado de “Grupo de Trabalho Projeto Rondon”, subordinado ao Ministério do Interior. Posteriormente, em 1970, esse GT foi transformado em Órgão Autônomo da Administração Direta pelo Decreto n° 67.505, de 6 de novembro de 1970, e em 1975, pela Lei N° 6.310 de 15 de dezembro, foi instituída a Fundação Projeto Rondon. Em janeiro de 1989, o Projeto Rondon foi extinto pela Medida Provisória nº 28/89 convertida posteriormente na Lei 7.732, de 14 de fevereiro de 1989. Em 1990, foi criada por ex-rondonistas a Associação Nacional dos Rondonistas, uma Organização Não Governamental (ONG) qualificada pelo Ministério da Justiça como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP).

 

RELANÇAMENTO

A nova fase do Projeto Rondon origina-se de uma proposta de reativação do projeto original encaminhada pela União Nacional dos Estudantes ao Exmo Sr Presidente da República em novembro de 2003. Para viabilizar essa proposta, foi criado, em março de 2004, um grupo de trabalho interministerial, composto por representantes do Ministério da Defesa (MD), ao qual coube coordenar a implantação do novo projeto, do Ministério da Educação, do Ministério da Integração Nacional, do Ministério da Saúde, do Ministério do Desenvolvimento Agrário, do Ministério do Desenvolvimento Social, do Ministério do Esporte, do Ministério do Meio Ambiente e da Secretaria-Geral da Presidência da República.

O grupo de trabalho interministerial definiu diretrizes e orientações gerais, que foram consolidadas num plano estratégico aprovado pelo Presidente da República em 20 de agosto de 2004. Esse documento define a sistemática de trabalho, detalhada e posta em prática ao longo do segundo semestre de 2004 com vistas à execução, em 2005, da primeira operação nacional desta nova fase do Projeto Rondon. As ações do projeto são orientadas pelo Comitê de Orientação e Supervisão do Projeto Rondon, criado por Decreto Presidencial de 14 de janeiro de 2005. O COS, como é conhecido, é constituído por representantes dos Ministérios da Defesa, que o preside, do Desenvolvimento Agrário, Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Educação, Esporte, Integração Nacional, Meio Ambiente, Saúde e da Secretaria-Geral da Presidência da República. Em 2005, o Ministro da Defesa, aprovou os seguintes documentos:

- CONCEPÇÃO POLÍTICA DO PROJETO RONDON, pela Portaria Normativa nº 836/MD;

- CONCEPÇÃO ESTRATÉGICA DO PROJETO RONDON, pela Portaria Normativa nº 837/MD; e

- DIRETRIZ ESTRATÉGICA PARA O PROJETO RONDON, pela Portaria Normativa 838/MD.

Operação "Acre" - 2005

 

2005 a 2007

Constituiu a Coordenação-Geral do Projeto Rondon pela Portaria 822/MD, de 29 de junho de 2005 subordinada à Secretaria de Estudos e Cooperação (SEC) do MD.

A SEC contava em sua estrutura cerca de 50 servidores, sendo 16 dedicados exclusivamente ao Projeto Rondon.

 

2008 a 2010

Com a extinção da SEC e a criação da Secretaria de Aviação Civil (SAC), o novo Departamento de Ensino e Cooperação (DEPEC), subordinado agora à Secretaria de Ensino, Logística, Mobilização, Ciência e Tecnologia (SELOM), todas do MD, houve a necessidade de, também, reduzir consideravelmente a estrutura do Projeto Rondon que passou a contar com apenas 4 servidores para suas ações, sendo o DEPEC integrado por 16 servidores.

 

2011 a 2016

Em 2010, o MD foi reestruturado, visando ao atendimento das diretrizes constantes na Estratégia Nacional de Defesa (END). Sinteticamente, as principais alterações foram:

- Transformação do Estado-Maior de Defesa (EMD) em Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA);

- Transformação da Secretaria de Organização Institucional em Secretaria de Coordenação e Organização Institucional (manteve a mesma sigla, SEORI);

- Criação da Secretaria de Produtos de Defesa (SEPROD);

- Criação da Secretaria de Pessoal, Ensino, Saúde e Desporto (SEPESD); e

- Extinção da Secretaria de Ensino, Logística, Mobilização, Ciência e Tecnologia (SELOM), com a transferência de suas atribuições ao EMCFA, SEPROD e SEPESD.

A SEPESD foi estruturada com setores da SEORI e do Departamento de Ensino e Cooperação (DEPEC) da extinta Secretaria de Ensino, Logística, Ciência e Tecnologia (SELOM). O projeto Rondon ficou subordinado ao então Departamento de Pessoal, Ensino e Cooperação (DEPEC). No final de 2012, o MD sofreu nova reestruturação, tendo sido criada a Secretaria-Geral, que enquadrou as demais Secretarias. Dentro da SEPESD, o Departamento de Pessoal, Ensino e Cooperação (DEPEC), foi restruturado no Departamento de Ensino (DEPENS) permanecendo o Projeto Rondon na sua subordinação como uma Divisão.

EM 2015, visando a atualizar as ações do Projeto Rondon, o MD aprovou os seguintes documentos:

- CONCEPÇÃO ESTRATÉGICA DO PROJETO RONDON, pela Portaria Normativa nº 2616/MD; e

- CONCEPÇÃO POLÍTICA DO PROJETO RONDON, pela Portaria Normativa nº 2617/MD;

Já em 2016, realizou as primeiras Operações Regionais. Foram as Operações Paiaguás, no Estado de Mato Grosso, e "Bacuri", no Estado do Maranhão.

2016 - Operação "Paiaguás"

RONDON

Ministério da Defesa - Esplanada dos Ministérios
Bloco Q - Cep: 70.049-900 - Brasília/DF

Fale Conosco

MINISTÉRIO DA DEFESA